O som das letras

Textos. Apenas textos escritos por mim e por música. A música das letras.



Comments: Quinta-feira, Novembro 27, 2008

COMBINADO

Se eu combino contigo e tu combinas comigo, vamos combinar: deve ser destino.

Porque nada combinaria tão bem com o tom da tua pele quanto a cor inversa da minha. Nem outros lábios se encaixariam tão bem inversos e reversos nos teus quanto os meus. E enquanto outros corações podem tentar acompanhar as batidas do seu, o meu já sabe de cor o compasso do teu.

Se eu combino contigo e tu combinas comigo, vamos combinar: só pode ser destino.

Porque nenhuma outra mente entenderia tão bem a tua, nem outra mente qualquer viajaria tanto com a minha. Nossas idéias e ideais, diferentes por si só, convergem em uma só e seguem juntas, entendidas, fazendo a diferença virar pó.

E se eu combino contigo e tu combinas comigo, vamos combinar: não pode ser destino.

Porque coincidência nenhuma seria capaz de juntar o que nós, decididos, decidimos. E quando o amor decide, não tem jeito de desistir.

Vamos combinar?

postado por: HENRIQUE ROJAS 6:56 PM


Comments: Quarta-feira, Novembro 26, 2008

MEIO

Meio acordado, meio dormindo
Meio acabado, meio sorrindo

Meio concentrado, meio relapso
Meio sucesso, meio fracasso

Meio tranqüilo, meio inquieto
Meio longínquo, meio por perto

Meio faminto, meio sem fome
Meio chamado, meio sem nome

E meio, sempre meio.
Porque completo só fico, com você por inteiro.

postado por: HENRIQUE ROJAS 3:56 PM


Comments: VOLTA

Perdeu cor
Perdeu vida
Perdeu sabor
Perdeu medida

Perdeu o rumo
Perdeu o sentido
Perdeu o sumo
Perdeu o sorriso

Perdeu a graça
Perdeu alegria
Perdeu a massa
Perdeu o dia

Perdeu carinho
Ganhou crueldade
Ganhou desalinho
Perdi metade

Volta, metade, volta.

postado por: HENRIQUE ROJAS 11:07 AM


Comments: Sexta-feira, Novembro 07, 2008

O ANO

O ano que passa a passos largos
Alarga os passos de quem passou
Porque quem passa, continua perto
Mas dá aperto ver quem ficou

E o ano que chega, desconfiado
Só desconfia de quem chegou
Porque quem chega é sobrevivente
Daquele ano que já passou

Passa ano
Chega ano
Passam passos de quem passou
E desconfiado, passa o tempo, de todo aquele já chegou.

postado por: HENRIQUE ROJAS 7:30 PM


Comments: Quinta-feira, Março 13, 2008

PALAVRAS GOSTOSAS

Eu não sei você, mas eu tenho o maior prazer em falar “motoca”. Por mim, ficaria horas e horas a fio ao lado de crianças no parque, só esperando elas falarem ou pedirem por essa palavra. Aliás, antes que me ataquem, não, não sou parente do Michael Jackson. Sou só um apreciador assíduo de palavras gostosas.

- Mãe, posso andar na minha motoca?
- Claro, meu lindo. Falando essa palavra você pode pegar até as chaves do carro.

Palavras gostosas são mesmo gostosas. Pelo som que produzem, pela forma sinuosa de suas letras, por sua grafia desajeitada e, principalmente, pela cara de bobo que elas provocam nas pessoas. Em quantidade, elas não são muitas nem poucas: existem em número exato para deliciar meus ouvidos.

Para se ter idéia do prazer que estas suntuosas palavras causam em nossos ouvidos, funcionários de uma grande gravadora estudam seriamente a montagem de um CD suave e malandramente narrado por Pedro Bial. Todas elas, uma a uma. Certeza de sucesso e indicação ao Grammy Latino.

- Catota. Poliglota. Saltimbancos. Pestanejar. Diarréia. Fornida. Boloida.

Aliás, vejo muito mais do que um simples sucesso da indústria fonográfica. Imaginem os inúmeros documentários que poderiam rolar no Discovery Channel, os seriados épicos que desbancariam Lost e Heroes do topo, as palavras em moldes de plástico que viriam junto com o McLanche Feliz... até campeonato de soletrar no Luciano Hulk iríamos ver.

- Janayna, do Acre, soletre ‘bugiganga’. Momentos de tensão no Caldeirãããããão!

postado por: HENRIQUE ROJAS 2:42 PM


Comments: SENTIDOS

Podem dizer que estou fora de mim
Podem dizer que é paixonite aguda
Podem dizer que o amor tem fim
Podem dizer que o amor traz agruras

Podem falar que estou em outro mundo
Podem pensar que estou delirando
Podem ver meu olhar profundo
Mas irão escutar, em alto e bom som, que estou amando.

postado por: HENRIQUE ROJAS 12:29 PM


Comments: Terça-feira, Março 11, 2008

JOBARBADO

Bom, pode não parecer, mas trabalhar com criação é bem parecido com fazer a barba. Explico.

Primeiro você recebe o job: aqui, no caso, fazer a barba. Daí você se prepara, pega todo o instrumental, passa a espuma no rosto, pega a lâmina de barbear (ou seria Gilette mesmo?) novinha em folha e começa o trabalho.

Logicamente, no começo você se dedica bastante e a primeira faz tchan. Você pensou em tudo muito bem, fez o que julgava melhor, estudou, pesquisou; foi além. Mas também logicamente, ela nunca é perfeita. Daí, mal finalizou aquela idéia, você já recebe algumas alterações do atendimento: “pô, uma costeleta tá menor que a outra”; “a cliente gosta que raspe só na vertical”; “ela nunca vai aprovar essas falhas aí no queixo”...

É então que você ensaboa novamente o rosto. E a segunda... bem, a segunda vai tchun. E tchun é diferente, né? Por mais que você tenha boa vontade, o camarada nem passou nada pro cliente e já podou algumas coisas. Mas vá lá, vamos que vamos, ele deve saber do que está falando. Então você pega e refaz tudo o que foi indicado: o queixo, a costeleta, as maçãs do rosto, tudo.

Só aí seu trabalho chega ao cliente. E, após uma longa reunião, o atendimento geralmente volta e diz que está tudo bom, tudo bem, mas que tem umas “alteraçõezinhas”...

- O sujeito disse que preferia que deixasse o cavanhaque.
- Mas eu havia deixado, você que mandou cortar.
- Enfim, não vamos discutir isso agora, né? Ele quer e não tem como. Mas relaxa, isso passou, preciso que você acerte só mais algumas outras coisinhas.

“Essas coisinhas” formam a terceira. E a terceira, que deveria fazer tchan tchan tchan tchan, não faz. Porque, na terceira, tudo aquilo que você queria fazer não foi feito. A costeleta, o cavanhaque, tudo! Tudo o que você queria fazer diferente foi limado. Raspado. Geralmente é assim, de maneira melancólica, que se finaliza um job.

Não é o que você queria.

Mas sabe o que vai ouvir: “a barba está feita, não está”? Então relaxa.

postado por: HENRIQUE ROJAS 11:09 AM


Comments: DEVANEIOS DE AMOR

É em seus cabelos que me perco
É em seus sonhos que viajo
Vou no embalo do teu peito
A seus pedidos nem reajo

É seu sorriso que me amarra
É seu corpo que me prende
É pra thy que faço graça
Contigo meu coração se entende

postado por: HENRIQUE ROJAS 10:26 AM


Comments: Quinta-feira, Janeiro 31, 2008

PENSEI

Pensei na vida
Pensei nos fatos
Pensei nas feridas
Pensei nos beijos, pensei nos afagos.

Pensei deitado
Pensei com a cabeça
Pensei virado
Pensei com o lápis, pensei com a prancheta.

Pensei.

E de tanto pensar, acabei pensando que, por mais que pensemos, alguns pensamentos não mudam.
Porque pensar é racional. E eu sinto.
Daí sigo sentindo força, alegria e outros sentimentos sensíveis a mim.

Eu pensei.

E cheguei a conclusão mais óbvia: eu te amo.

postado por: HENRIQUE ROJAS 10:08 AM


Comments: Quinta-feira, Dezembro 27, 2007

SAUDADE

“Saudade” só se escreve em português,
Mas todo mundo sente.

Já “sentir” se escreve em qualquer lugar do mundo,
Mas ganha ainda mais sentido em português.

Porque ficar longe de alguém que se ama dói aqui ou na China,
Mas ficar longe de você deixa um abismo maior que essa distância.

Não a distância dos lábios.
Não a distância do toques.
Mas a distância do peito.
Que só se acalma quando te beija, te toca e te sente.

E sentir saudade é universal.
Tão universal quanto o meu amor por thy.

postado por: HENRIQUE ROJAS 7:51 PM


Comments: MAS É AMOR

Fosse mar, a tudo inundaria.
Fosse terra, o tudo seria deserto.
Fosse luz, cegaria a todos.
Fosse escuridão, nem o Sol brilharia.
Fosse guerra, iríamos acabar em bombas.
Fosse paz, ninguém mais levantaria a voz.

Mas é amor.

E de tão forte inunda,
seca,
cega,
escurece,
batalha,
e silencia. Inundando o coração.

postado por: HENRIQUE ROJAS 5:24 PM


Comments: Terça-feira, Novembro 27, 2007

UM + UM

Sorrir de felicidade
Chorar, só se for de alegria
Sofrer? Só por ansiedade
Amar, só se for todo dia

Eu grito pro mundo que você me faz bem
Eu lamento por não termos mais tempo
Eu fico nervoso se você fica também
E eu me chateio quando não te entendo

Mas é bom
Mas é tão bom
E de tão bom me acalma
Acelera o coração, aquece a alma

E somos um
Um que vale por dois.

postado por: HENRIQUE ROJAS 10:18 AM


Comments: Quarta-feira, Outubro 31, 2007

GARÇOM

Confesso que ter um filho que torça contra o seu time de coração não deve ser fácil. Mas alguém já parou para pensar no martírio que é ser pai de garçom?

Não bastassem os horários loucos e a falta iminente que o mesmo faz na hora das refeições familiares, você nunca, jamais, de maneira alguma, vai ouvir alguém chamá-lo pelo nome.

É um tal de “Amigo” pra cá, “Grande” pra lá, “Campeão” daqui, “Ô da bandeja!” acolá.

Garçom não tem nome.

Você passa meses tentando encontrar o nome certo e, quando encontra, o garoto cresce e ninguém o chama assim. Para se ter noção do estrago, ter filho garçom é muito mais frustrante do que ver um Francisco ser chamado de “Chico” ou aquele seu pomposo Walter virar Valtinho.

Da minha parte, nada contra a profissão. Mas rezo todos os dias para que meu filho não seja garçom.

postado por: HENRIQUE ROJAS 6:18 PM


Comments: Sexta-feira, Setembro 28, 2007

AMANDO

Gosto quando fala a verdade
Gosto quando faz careta
Gosto quando exala lealdade
E adoro quando faz a festa

Gosto de te ver sorrindo
Gosto de te ver correndo
Gosto de te ver dormindo
Mas odeio te ver sofrendo

Gosto andando,
mastigando,
decolando,
animando

Com medo,
com receio,
com coragem,
com meneios

Gosto de gostar.

E adoro gostar disso.

postado por: HENRIQUE ROJAS 10:08 AM


Comments: Segunda-feira, Setembro 24, 2007

COMPLETHO

A certeza que eu tenho é que thi quero por perto
Já não importa o que acham, se sou tolo ou esperto
A única coisa que sei é que nunca estive tão certo
Você é a peça que faltava, agora estou completho.

postado por: HENRIQUE ROJAS 10:10 AM



arquivo